Liberação do Tribunal de Contas abre caminho para estatal fazer oferta da subsidiária no mercado

Da redação

Depois da decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) de liberar a Petrobras para vender seus ativos, a empresa quer retomar o processo de venda de sua participação na BR Distribuidora. As informações são da Agência Brasil.

Por determinação do TCU, o processo terá que ser reiniciado do zero, mas o presidente da estatal, Pedro Parente, disse que a empresa está trabalhando para recomeçar os desinvestimentos o mais rápido possível.

“Certamente, pelo que já andou, isso vai nos ajudar a ser mais céleres no que será possível ser, porque tem prazos que temos que cumprir. Vejo com boas expectativas a gente andar rápido”, disse Parente, após se reunir nesta segunda-feira (20) com o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho.

Para o executivo, a decisão do TCU foi extremamente importante para a Petrobras, porque garante uma sistemática de desinvestimentos totalmente aprovada pelo tribunal.

O primeiro passo para retomar o processo de venda da subsidiária será a aprovação do processo pela diretoria executiva da Petrobras, o que deve ser “simples e rápido”. Depois será enviado o prospecto da venda para a lista de interessados, e essas informações serão publicadas para que outros possíveis interessados se manifestem.

“Vamos analisar se eles têm as condições necessárias para participar do processo, se tiverem vão ser incorporados também”, disse Parente.

O processo formal de venda da participação da Petrobras na BR Distribuidora foi iniciado em outubro do ano passado, mas teve que ser paralisado por uma medida cautelar do TCU, que suspendeu a venda de ativos da empresa. Na última quarta-feira (15), o tribunal liberou a venda de ativos, mas determinou que a Petrobras reinicie todos os negócios cujos contratos de compra e venda não tenham sido firmados.

LEILÕES DO PRÉ-SAL

Parente disse também que a Petrobras deverá exercer o direito de preferência nos próximos leilões do pré-sal. “A Petrobras tem muita informação sobre várias áreas do pré-sal, com bastante detalhe, já perfurou mais de 200 poços, tem muita informação geológica e geofísica e, sem dúvida nenhuma, naquelas áreas que forem importantes em função dessa sua visão, ela vai querer participar.”

O presidente da Petrobras negou ter tratado com o ministro de aumento de preços de combustíveis. “Temos uma política que está sendo praticada e pelo menos uma vez por mês fazemos revisão dos preços”, disse.

Comentários

comentários