Este post foi publicado em Política em por .

*O Globo

O governador do Rio e candidato à reeleição, Luiz Fernando Pezão (PMDB), segue liderando a disputa do 2º turno, segundo pesquisa divulgada pelo Datafolha nesta quinta-feira. Ele manteve o percentual de 46% de intenções de voto, contra 38% do seu adversário, Marcelo Crivella (PRB). Os dois candidatos participam de debate nesta quinta-feira, dia 23, na TV Globo.

No levantamento anterior, divulgado no último dia 16 de outubro, Crivella tinha 36% das preferências dos eleitores – sua variação, portanto, ficou dentro da margem de erro da pesquisa, de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

O percentual de eleitores que afirmaram votar nulo ou em branco também se manteve em 10% nas duas pesquisas. Já o percentual dos que não souberam dizer em quem votariam ou não quiseram responder caiu de 8% para 6%, também dentro da margem de erro.

Considerando apenas os votos válidos – ou seja, excluindo os brancos e nulos –, Pezão tem 55%, e Crivella, 45%. Na pesquisa anterior, os percentuais eram de 56% e 44%, respectivamente.

O Datafolha também perguntou aos eleitores sobre a avaliação deles a respeito do governo. O percentual dos que acham a atual administração boa foi de 32%; outros 37%, que é regular. Os que acham que a gestão é ruim foi de 18%, e 13% não souberam dizer.

Foram entrevistados 1.554 eleitores em 38 municipios, na quarta-feira e nesta quinta-feira. O nível de confiança, ou seja, a probabilidade de que o resultado, considerando a margem de erro, reflita a realidade, é de 95%.

O levantamento foi registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o nº 00075/2014, e no TSE sob o nº 01162/2014.

Ibope

Já a pesquisa Ibope mostrou uma vantagem de nove pontos de Luiz Fernando Pezão (PMDB), com 46%, contra Marcelo Crivella (PRB), com 37%, nos votos totais. Os votos brancos e nulos contabilizam 12% e os indecisos somam 5%. O instituto ouviu 2002 eleitores, entre os dias 20 e 22 de outubro.

Na soma dos votos válidos, como é feito o cálculo pelo Tribunal Superior Eleitoral para divulgar o resultado oficial das eleições, Pezão tem 55%, e Crivella chega a 45%. Ao contabilizar esses números, são excluídos os votos brancos e nulos, além dos indecisos. Na pesquisa anterior do Ibope, divulgado nesta segunda-feira, Pezão tinha 56% e Crivella somava 44%.

A margem de erro é de dois pontos, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral com o número RJ-00076/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR 01164/2014.

Este post foi publicado em Política em por .

*O Globo

A presidente Dilma Rousseff (PT) aparece pela primeira vez à frente do senador Aécio Neves (PSDB) neste segundo turno das eleições fora da margem de erro. De acordo com a pesquisa, a petista tem 48% das intenções de votos, Aécio atinge a marca de 42%. Brancos e nulos somam 5%. Outros 5% dizem não saber em quem votar. Se contarmos apenas os votos válidos, a petista aparece com 53% das intenções de votos, enquanto Aécio tem 47%. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

A avaliação da presidente também subiu em relação aos levantamentos anteriores. Segundo o levantamento, 44% julgam a administração petista “boa ou ótima”, ante 42% do levantamento anterior. Trata-se do melhor patamar desde junho de 2013. Antes das manifestações, Dilma tinha 57%.

A pesquisa foi encomendada pelo jornal “Folha de S. Paulo” e pela TV Globo, o Datafolha ouviu 9.910 pessoas nos dias 22 e 23 de outubro. O nível de confiança do levantamento é 95%. O registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é BR-1162/2014

 

Este post foi publicado em Política em por .

O Globo

Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira mostra Dilma Rousseff (PT) na liderança da corrida eleitoral no segundo turno contra Aécio Neves (PSDB). A petista cresceu seis pontos em relação ao levantamento anterior, divulgado na quarta-feira da semana passada, e tem agora 49% das intenções de voto. Já o tucano caiu quatro pontos e aparece com 41%.

Outros 3% dos eleitores afirma que ainda não sabem em que votar no próximo domingo e 7 % declaram que pretendem votar em branco ou anular. Se forem considerados apenas os votos válidos, Dilma tem 54% e Aécio, 46%.

No último levantamento do Ibope, realizado entre os dias 12 e 14 de outubro, Aécio aparecia à frente de Dilma com 45% das intenções de voto contra 43%, respectivamente. Se considerarmos apenas os válidos, a pesquisa indicava uma leva vantagem de Aécio (51%) sobre Dilma (49%)

É a terceira pesquisa divulgada nesta semana que mostra a recuperação de Dilma Rousseff na reta final do segundo turno. Na primeira pesquisa divulgada, na segunda-feira, pelo Datafolha, a petista tinha 46% das intenções de voto contra 43% do tucano.

Um dia depois, a presidente oscilou um ponto chegando a 47% e Aécio se manteve estável. Considerando somente os votos válidos, os índices dos candidatos e a distância entre eles permaneciam iguais: Dilma tem 52%, ante 48% de Aécio, o que na prática configurava um empate técnico.

Este post foi publicado em Política em por .

Todo arsenal que o ex-governador Anthony Garotinho (PR) dispunha para usar contra o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) no segundo turno já estão nas mãos do senador Marcelo Crivella (PRB), a quem caberá à decisão de usar no programa eleitoral desta quinta e sexta-feira ou no debate que vai ao ar pela Rede Globo.

Desde que recebeu a munição Crivella ficou mais afoito. Acentuou os ataques à Pezão, mas segundo Garotinho, ainda não tocou nos temas mais espinhosos que estão guardados no estoque de maldades.

Nesta sexta-feira Pezão participa de uma carreata na cidade de Campos dos Goytacazes, berço político de Garotinho.

Este post foi publicado em Cidades em por .

A Operação Marco Zero, desencadeada pela Polícia Federal na cidade de Carapebus nesta quinta-feira, dia 23, é decorrência de uma investigação da Controladoria Geral da União, que constatou fraudes em 30 processos de licitação na área de Saúde. Todas envolviam o uso de verbas federais.

O monstro é mais cabeludo do que se possa imaginar. Ao recolher documentos na prefeitura durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão autorizado pela Vara Federal de Macaé, agentes da PF também recolheram documentos referentes ao uso de verbas do Programa Somando Forças, financiado pelo governo do Estado por meio de parcerias com as prefeituras.

Há fortes indícios de fraude. As obras foram realizadas pelas empresas Nova Sigma e Prado, que são investigadas na Operação Ave de Fogo. As duas empresas atuaram atuaram na construção de uma praça de alimentação e calçamento. A Marco Zero, assim como a Ave de Fogo, caminha para ter desdobramentos. Todo esses fatos, segundo informações, foram denunciados desde 2011 no Ministério Público Estadual, Ministério Público de Tutela Coletiva, Procuradoria Geral de Justiça e no Tribunal de Contas do Estado. Mas aqui no Estado do Rio, ficou na estaca zero.

Este post foi publicado em Política em por .

dilma e aecio 1Com a corrupção desenfreada em todos os setores da sociedade brasileira, o tema ganha destaque na campanha eleitoral.  Tanto a presidente Dilma Rousseff (PT) quanto  o oponente Aécio Neves (PSDB) tratam o combate a esse crime com destaque e propõem mudanças em leis e no sistema político para evitar o desvio de recursos no país.

Segue abaixo as cinco principais propostas dos candidatos para enfrentar a corrupção que assola a máquina pública e a avaliação de especialistas que analisaram os programas de governos. Todos afirmam que as propostas tanto da presidente quanto do candidato do PSDB pecam pela fragilidade.

Proposta de Dilma

1 – A aprovação de uma lei para punir os agentes públicos que enriquecem sem justificativa ou não demonstram a origem dos seus ganhos.

2 – Criação de uma nova espécie de ação judicial que permita o confisco dos bens adquiridos de forma ilícita ou sem comprovação.

3 – Mudança na legislação eleitoral para transformar em crime a prática de caixa 2.

4 – Mudança na legislação para acelerar o julgamento de processos envolvendo desvio de recursos públicos.

5 – Criação de uma nova estrutura no Poder Judiciário, que garanta mais agilidade e eficiência às investigações e aos processos movidos contra os que têm foro privilegiado.

Em seu programa de TV, a candidata reafirmou que a corrupção causa revolta e repulsa. “Quanto mais a corrupção aparece, mais parece que ela cresce. E quando se oculta, se abafa, se engaveta, se cria a ilusão que ela não existe. A gente não tem que ter medo de ir fundo, porque a

Proposta de Aécio

1Aprimoramento da legislação para combater os crimes de colarinho branco e a capacitação de agentes públicos na prevenção e no combate à corrupção e à lavagem de dinheiro.

2 – Definição mais detalhada do que é organização criminosa.

3 – Redução do número de ministérios, que atualmente está em 39, e a diminuição em um terço dos 24 mil cargos comissionados no Brasil.

4 – Transparência, com o objetivo de aumentar a eficiência e eliminar o aparelhamento e a corrupção.

5 – Implantação de uma gestão por meritocracia, por meio de avaliações de desempenho institucional e individual.

“Queremos a profissionalização do setor público, concursos públicos são essenciais. O que eu vou reduzir são os cargos comissionados, sem qualquer critério de eficiência e meritocracia”, defende Aécio.

Para o fundador e secretário-geral da organização não governamental (ONG) Contas Abertas, Gil Castello Branco, as propostas dos dois candidatos para combater a corrupção são frágeis. “Esse assunto não é tratado com a seriedade devida, como uma questão prioritária”, avalia.

Ele critica o fato de o atual governo, mesmo com maioria no Congresso Nacional, não ter agilizado a aprovação de cerca de 300 projetos de lei anticorrupção que tramitam no Legislativo.

Sociedade civil está descrente

O especialista também questiona o atraso na regulamentação da Lei Anticorrupção, que pune pessoas físicas e empresas. A proposta foi aprovada em agosto do ano passado e aguarda regulamentação na Casa Civil. Outro problema apontado por ele diz respeito à falta de cumprimento da lei que obriga os municípios a terem portais divulgando receitas e despesas e o efetivo cumprimento da Lei de Acesso à Informação.

Castelo Branco considera que o programa do candidato Aécio Neves apresentou poucas propostas sobre o tema. “Não vi uma manifestação explícita em relação à aprovação dos projetos de lei que tramitam no Congresso sobre o assunto nem sobre o maior cumprimento das leis que aumentam a transparência e o controle social e diminuem a corrupção”, avalia.

Para o cientista político Antônio Flávio Testa, da Universidade de Brasília (UnB), as propostas dos dois candidatos estão “mais para discursos vazios do que proposições práticas”. Ele explica que no atual sistema político do país a atuação de um presidente da República em relação ao combate à corrupção é limitada.

“A corrupção é estrutural no Brasil. O presidente pode demitir funcionários, ministros, pessoas acusadas de corrupção. Mas com esse sistema que nós temos de aparelhamento do Estado, de indicação política, eventualmente ele tira uma pessoa e coloca outra, mas ela estará subordinada à mesma regra.”

Testa considera difícil a aprovação no Congresso Nacional de propostas para endurecer a legislação no combate à corrupção. “Não creio que seja fácil nem é interesse do Congresso passar isso.”

Em relação à proposta de Aécio Neves, de diminuir os cargos comissionados, o especialista acredita ser difícil de ser implementada. “Se ele conseguir fazer isso, seria muito bom para o Brasil, mas quero ver se ele vai ter condições de fazer, se ganhar. Esses cargos são indicações partidárias. O sistema presidencialista de coalizão exige isso para funcionar: colocar indicados dos partidos para cobrir cargos estratégicos”, argumenta.

*Com informações da Agência Brasil

Este post foi publicado em Carapebus-RJ em por .

A Polícia Federal realiza, na manhã desta quinta-feira (23), a operação ‘Marco Zero’ na Prefeitura Municipal de Carapebus, Norte Fluminense, com o objetivo de realizar a busca e a apreensão de diversos processos de licitações ocorridas recentemente com graves indícios de fraudes. Agentes da delegacia em Macaé em conjunto com a Controladoria Geral da União também trabalham na operação.

De acordo com a delegada da Polícia Federal em Macaé, Carla Dolinski, a maioria dos processos refere-se à compra de medicamentos em quantidade excessiva, a realização de obras de baixa qualidade superfaturadas e a prestação de serviços sem a devida comprovação, com verbas federais. Ainda segundo a delegada, a fraude nas licitações é considerada um crime complexo, uma vez que, para a sua realização, é necessária a associação de empresários e agentes políticos desonestos com servidores públicos corruptos.

A investigação corre em segredo de justiça na Vara Federal de Macaé e foi iniciada a partir da constatação de que vários Editais de Licitação teriam sido forjados, não tendo sido nunca veiculados na mídia anulando, desta forma, a competitividade em benefício de diversas empresas.

Nas licitações suspeitas estão envolvidas algumas empresas e pessoas já investigadas nas Operações Ave de Fogo e Vale-Tudo, que foram recentemente deflagradas pela Polícia Federal no município de Conceição de Macabu.

Assim como as investigações em Macabu tiveram o início a partir das denúncias feitas por um grupo de vereadores locais, a investigação Marco Zero foi iniciada a partir das informações recebidas de servidores públicos que tiveram acesso aos processos fraudados.

O cumprimento dos mandados de busca envolve cinco equipes e cerca de vinte policiais. O material apreendido será analisado pelo grupo de combate ao desvio de recursos públicos e o que for selecionado será considerado elemento de prova contra os participantes nas fraudes.

*Com informações do G1

Este post foi publicado em Cidades em por .

A operação desencadeada pela Polícia Federal de Macaé na prefeitura de Carapebus, no Norte Fluminense, nesta quinta-feira, dia 23, pode chegar a provas robustas de fraudes em licitações na área de Saúde. Essas denúncias foram encaminhadas há dois anos e só agora surtiu resultado efetivo, porque envolveu a Controladora-Geral da União e Tribunal de Contas da União (TCU).

Segundo informações extra-oficiais, as mesmas denúncias foram encaminhadas ao Ministério Público Estadual, Ministério Público de Tutela Coletiva (Núcleo Macaé), Procuradoria Geral do Estado e Tribunal de Contas do Estado, porque o maior volume de indícios de ações fraudulentas ocorreu com verbas estaduais. Só que no âmbito do Estado, não se sabe a razão, as denúncias não evoluíram. Na própria Polícia Federal de Macaé, pode ser mera coincidência, a carruagem andou após a troca de delegado.

A operação em curso foi autorizada pela Justiça Federal e deve, fatalmente, revelar verdades inconvenientes.Por enquanto, os agentes se concentram em mandados de busca e apreensão. Em um segundo momento é possível que venham os mandados de prisões.

Este post foi publicado em Cidades em por .

A Polícia Federal invadiu a Prefeitura de Carapebus, no Norte Fluminense. As informações iniciais dão conta de que a operação investiga fraudes em licitações. Os agentes estão recolhendo computadores e documentos.

É o cerco se fechando contra os indícios de corrupção. A PF já realizou operação em Conceição de Macabu, São Fidélis e agora atravessou a BR-101. Está pertinho de Quissamã, onde coisas escabrosas estão sendo denunciadas ao Ministério público.

Este post foi publicado em Política em por .

Os dias que antecedem a eleição do próximo domingo caminham para uma descida de tom entre os dois partidos que disputam a eleição presidencial. Depois de uma série de bombardeios verbais no horário de rádio e TV, as coordenações jurídicas do PT e PSDB, leia-se Dilma e Aécio, entraram em acordo hoje (22) para arquivar todas representações que foram protocoladas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Todas são referentes às eleições deste ano.

O acordo foi homologado por unanimidade pelos ministros do TSE. Com a decisão, as coligações comprometeram-se a priorizar o debate de ideias no espaço horário eleitoral. O entendimento reuniu os advogados das duas coligações após a decisão na qual o tribunal entendeu que a propaganda eleitoral não pode ser usada para ofensas pessoais.

O novo entendimento sobre a matéria, firmado na semana passada, provocou suspensões de trechos da propaganda de Dilma e Aécio. O último dia do horário eleitoral será sexta-feira (24). Também é a data limite para a divulgação da propaganda eleitoral paga na mídia escrita e para os debates. O último debate, por sinal, será na sexta-feira na TV Globo.

*Com informações da Agência Brasil